Transporte de cães e gatos em viagens exige atenção especial

Animais devem estar com antirrábica atualizada e atestado do veterinário. Cada tipo de viagem tem uma exigência; veja as determinações.

Para muitas pessoas, os animais de estimação fazem parte da família e a viagem de férias não é a mesma sem eles. É o caso da esteticista Carla Ramos, que sempre leva seu cachorro Fred, de 2 anos, nas viagens de carro. O marido da esteticista, o empresário Armando S. Carvalho, conta que, logo que ganharam o pet, há 2 anos, o casal optou por comprar uma cadeira específica para o transporte de cães e gatos. O assento é preso ao banco do carro com ajuda do cinto de segurança.

O empresário Armando Carvalho ao chegar com o pet Fred no hotel onde se hospedou com a esposa em Curitiba

O empresário Armando Carvalho ao chegar com o pet Fred no hotel onde se hospedou com a esposa em Curitiba

Desde então, as viagens de ônibus e avião foram substituídas pelas de carro. Carla conta que prefere viajar apenas de carro com o animal porque não gosta de usar as caixas de transporte para cães adequadas no caso de viagens de avião ou ônibus. “Acho que ele fica preso. A cadeira é mais ventilada, ele nunca estranhou, vai quieto, não pula. Muitas vezes, ele vai dormindo. Nunca viajamos com ele de avião porque não vou botar ele em uma gaiola para ir no bagageiro. Tenho medo que ele morra”, teme a dona.

“No início, a gente dava um remédio para ele não enjoar, agora não precisa mais”, complementa Armando, sobre a “tranquilidade” em ter o cão como companheiro de viagem.

Os cuidados tomados pelo casal são importantes para a segurança, mas por lei não são obrigatórios. O Departamento Estadual de Trânsito (Detran-BA) orienta que, embora a lei não obrigue a “retenção dos animais” em caixas ou coleiras, essa é a forma mais segura de sair com eles em veículos pelas estradas. As polícias rodoviárias federal e estadual é que fazem a fiscalização nas estradas, seguindo as normas previstas no Código Brasileiro de Trânsito.

Para o transporte em carros, pode ser usado, além da cadeira, um cinto específico para cães, que é preso ao cinto do veículo. Outra opção é isolar os bancos de trás com uma grade divisória.

O que, segundo o Detran, corresponde a uma infração grave prevista no artigo 235 do Código Brasileiro de Trânsito é transportar animais na parte

Fred já é considerado da família e já viajou a lugares como Curitiba, Rio de Janeiro e Belo Horizonte com os donos

Fred já é considerado da família e já viajou a lugares como Curitiba, Rio de Janeiro e Belo Horizonte com os donos

externa do carro (no caso de caminhonetes) ou com parte do corpo para fora da janela do veículo. Caso seja flagrado nesta situação, o motorista pode perder cinco pontos na carteira de habilitação e pagar multa de R$ 127, 69. O Código ainda prevê uma multa considerada média, caso o condutor esteja dirigindo com o animal à sua esquerda, ou entre os braços e as pernas. A punição é de quatro pontos na carteira e multa de R$ 85,13.

O veterinário Marcos Andrade explica que em qualquer ocasião, é necessário ficar atento às regras do órgão regulador. Duas exigências comuns em todos os meios de transporte, no caso de cães e gatos, é que eles estejam com a vacina antirrábica atualizada e que o dono apresente um atestado de saúde do animal emitido por um veterinário.

Ônibus

De acordo com o Decreto nº 2.251/98, da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), que regula a circulação de ônibus intermunicipais no país, o transporte de animais nesses veículos é permitido, desde que sejam observados os locais e os limites máximos de peso e dimensão estipulados para a bagagem.

Também deve ser observado se o local de transporte oferece adequadas condições de saúde para o animal e se esse transporte não irá comprometer a segurança dos outros passageiros, além de obedecer o limite de peso por passageiro no bagageiro, que é de 30 kg. Cães e gatos devem ser levados nas caixas de transporte específicas para esses animais.

Aviões

Para cães ou gatos viajarem em aviões, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) determina que, além da vacina e do atestado, os animais devem ser levados na caixa para transporte de animais, com compartimento de água e comida e um forro para o caso de necessidades, como a de urinar, no bagageiro da aeronave. A regra vale para viagens dentro do Brasil e para os Estados Unidos.

Se o objetivo do dono de um animal de estimação é levar o cão o gato para a Europa, é preciso um pouco mais de cuidado. “Além da vacina e do atestado emitido pelo veterinário, é necessário apresentar um exame de sorologia da vacina contra a raiva. O procedimento comprova que a imunização foi eficaz”, afirma Marcos Andrade. O veterinário alerta que, nesses casos, é preciso se programar porque o resultado do exame de sorologia demora 40 dias.

O dono do animal deve entrar em contato com a companhia aérea pelo menos 24 horas antes da viagem para informar que vai levar o animal de estimação. Para transportar cães ou gatos em aeronaves, o passageiro deve ainda pagar uma taxa estabelecida pelas companhias aéreas.

Viagem na cabine

O transporte na cabine de passageiros, de acordo com a Anac, fica a critério da empresa aérea. Por enquanto, a TAM é a única empresa no Brasil que permite que animais sejam levados na aeronave como bagagem de mão. O peso do animal somado com o da caixa de transporte, indicada pela companhia, não pode ultrapassar 10 kg.

O veterinário ressalta que, no caso de cães com mais de 30 kg, os animais são transportados em aviões de carga e retirados no aeroporto de destino. Essa regra também está disponível nos sites das principais companhias aéreas que operam no país.

A Gol não transporta cães da raça Bulldog, em “nenhuma das suas variações”.  Nenhum cachorro de focinho curto é aceito nos aviões da Gol. De acordo com o veterinário Marcos Andrade, essa restrição é feita por conta do risco de complicações desses animais durante a viagem. “Esses cães têm dificuldade respiratória e podem ter complicações se ficarem sozinhos no bagageiro, por conta do estresse do ambiente”, diz. A lista completa com os nomes das raças que não são transportadas pelas empresas aéreas brasileiras pode ser acessada no site das companhias.

É importante se atentar também para as regras do país de destino quanto à entrada de animais. A Espanha, por exemplo, não permite a entrada de cães das raças Pit Bull Terrier, American Staffordshire Terrier, Rottweiller, Dog Argentino, Fila Brasileiro, Tosa Inu (Japanese Tosa) e Akita Inu. Geralmente, esse tipo de informação pode ser obtida junto à companhia aérea.

Valores

Segundo o veterinário, os equipamentos de segurança para transportar cães ou gatos durante viagens de carro, ônibus ou avião são encontrados em pet shop. O valor da caixa, que é normalmente feita de material plástico ou de fibra, varia entre R$ 90 e R$ 400, dependendo do tamanho. O cinto de segurança para cães ou gatos custa em média R$ 23 e a cadeira para carros R$ 200. Além disso, o dono do animal terá um custo aproximado de R$ 30, com a vacina antirrábica, e de R$ 50 com uma consulta com o veterinário para obter um atestado de saúde do cachorro.

O especialista deixa uma dica para os donos que pretendem viajar com seus animais de estimação. “Não tem um intervalo determinado, mas recomenda-se que, dependendo do estilo de vida do animal, ele pare durante as viagens para fazer as necessidades e também para ele não ficar estressado. Principalmente se a viagem for longa, mais de uma hora, por exemplo”, complementa o veterinário, referindo-se às viagens de carros ou ônibus, quando é possível fazer algumas pausas no trajeto.

 

Texto: Sabrina Souza

Anúncios
Categorias: Dicas & Novidades | Tags: , | Deixe um comentário

Aeroportos passaram a ser mais frequentados pela classe média

Imagem

Estudo realizado pela Hi-Mídia e M. Sense, aponta que 40% da classe média já viajaram de avião

Viajar de avião tornou-se meio de transporte mais acessível pela sua agilidade e a redução do preço da passagem, principalmente para a classe média, em que, antes era frequentada pela classe alta.

Essa mudança vem acontecendo há 13 anos por causa da melhora do crescimento econômico e o aumento da distribuição de renda. “Um dos fatores importantes dessa transformação, são as viagens de ônibus, que não tiveram redução dos preços e, por consequência, tiveram queda da demanda”, comenta o economista Renato Vaz Garcia.

De acordo com o site ESPM, um estudo realizado pela Hi-Mídia e M. Sense aponta que 40% da classe média já utilizou o avião como meio de transporte. O destino mais procurado são as viagens nacionais com 60,4%, já os internacionais 20%.

O economista, Renato Vaz Garcia, comenta com o aumento da renda, a classe média passou a consumir produtos que antes era exclusivo das classes altas, como por exemplo, as próprias viagens de avião, notebooks, TV por assinatura, celulares e, entre outras. “A classe média passa ser a maior movimentadora da economia brasileira, representado 55% da população”, conta.

Segundo a classificação do Governo Federal, há seis níveis de classe, a renda “pobre”, apresenta per capita entre R$162,00 a R$291,00; a “vulnerável”, com renda entre R$291,00 a R$441,00; a “classe média”, com ganho entre R$ 440,00 a R$ 640; a “classe média alta”, com rendimento entre R$640,00 a R$ 1.020,00; a “baixa classe alta”, com renda entre R$ 1.019,00 e R$ 2.480,00 e a “alta classe alta”, com renda acima de R$ 2.480,00.

Para o economista, a dica principal para quem queira viajar é pesquisar os pacotes de viagens. “Hoje, com o aumento da concorrência entre as companhias aéreas e as companhias de ônibus, o consumidor apresenta grandes benefícios, seja pela queda nos preços, pelo oferecimento de novos serviços e de melhor qualidade”, afirma.

Categorias: Dicas & Novidades | Tags: , , | Deixe um comentário

Bonito, o município “bonito” por natureza

Imagem

A cidade é o maior potencial ecoturístico do Mato Grosso do Sul

Localizada a 330 quilômetros da capital mato grossense, Bonito (MS) conhecido como “Disney Ecológica” pela beleza exuberante, cavernas inundadas, paredões rochosos, cachoeiras e rios cristalinos com os peixes coloridos que deixa qualquer um fascinado.

A analista de sistema Ellen Rocha, foi com grupo de amigos e conta que a cidade é exótica. “Eu divertir muito com os meus amigos, o que eu mais gostei foi à flutuação, pois eu tive contato com os peixes”, comenta a analista extasiada.

E quem vai visitar a cidade não pode deixar de conhecer as lagoas, balneário e cachoeiras do município. Também, há para aqueles que adoram adrenalina e aventura.

O mais famoso é o rio Sucuri, onde é divida com o rio Formoso, são águas cristalinas, mas para ter o acesso é preciso percorrer uma trilha de 150 metros, poderá flutuar para ter contato mais próximo com os peixes existentes no local.

A Lagoa Misteriosa de água azul e cristalina tem 75 metros de profundidade e para isso precisa descer de uma escadaria de 179 degraus, onde poderão mergulhar ou flutuar  acompanhado de um guia. É denominada de Lagoa Misteriosa, pois a formação geológica similar a um buraco, cercada por mata ciliar.

Imagem

A gruta conta com 90 metros de profundidade 120 metros de largura

Para um belo paisagismo ecológico, a gruta Lago Azul, que agrega um lago cristalino com 90 metros de profundidade e 120 metros de largura, aa rochas são calcárias tomadas por estalactites e estalagmites e a gruta São Miguel, onde é feita trilha pênsil com aproximadamente 200 metros de extensão mostra as espeleotemas (formações calcárias, a caverna tem a formação seca por causa do processo de evolução há muito tempo).

Num momento refrescante com tranquilidade, a cachoeira é uma boa opção para se divertir dentre eles a Boca da Onça (156 metros de queda, podendo fazer um rapel de 90 metros); Estância Mimosa, Parque da Cachoeira, o Rio do Peixe ou lagoa Figueira, que remete a uma praia. A lagoa cristalina tem 60 mil metros quadrados e conta com quiosques podendo praticar esporte como vôlei de praia e frescobol.

Não deixando de lado para os amantes em aventura tem rapel no abismo Anhumas, são 72 metros de descida, rafting e o bóia cross no rio formoso. E o passeio de quadriciclo pela estrada boiadeira (usada por comitivas de gado como passagem até as fazendas), o percurso é realizado em 8 km com pedras e buracos no meio da estrada garantindo muita adrenalina.

Categorias: Destinos nacionais | Tags: , , , | Deixe um comentário

Viagens ao exterior exigem muita atenção na troca de câmbio

ImagemQuem nunca sonhou com uma viagem ao exterior? Faz parte da programação da viagem planejar a troca de cambio para não ter nenhum conta tempo durante o passeio. O turista sempre precisa pesquisar qual moeda é aceita no país que será visitado, ou que possa ser facilmente trocada por outras, como o dólar norte-americano.
Vale sempre se informar antes sobre moedas que têm melhor aceitação no país visitado. As operações de compra e venda de moeda para pessoas que vão viajar ao exterior são feitas no chamado mercado de câmbio turismo. A cotação é expressa em R$ por unidade da outra moeda.
Lembre-se que as normas cambiais não impõem limites para compra de moeda estrangeira em casos de viagens ao exterior. No entanto, de acordo com a resolução 2.524 do Banco Central, se o valor comprado ultrapassar R$ 10 mil é preciso declará-lo à Receita Federal, antes de sair do País, não há prazo para viajar após a compra.
A agente de viagens Sônia Feitosa explica que para comprar moeda estrangeira, é preciso apresentar apenas o documento de identificação (RG) e a compra deve ser feita pela própria pessoa. Ela conta também que para os valores acima de US$ 3.000, o correspondente em moeda nacional deve ser pago por meio de cheque emitido pelo comprador ou por débito em sua conta corrente. Abaixo deste valor, a compra pode ser paga em espécie (reais). “Por conta deste limite para a compra em reais, alguns bancos só vendem moeda estrangeira para seus clientes, para reduzir seu risco de inadimplência,” explica Sônia.

Categorias: Dicas & Novidades | Tags: , , | Deixe um comentário

Entenda como funciona a alfândega e evite as multas por excesso de bagagem

Veja como funcionam as regras alfandegárias e evite perder as compras ou pagar multas que podem fazer o barato sair caroalfândega

 Problemas na alfândega podem tornar as melhores compras de viagem em um grande prejuízo em poucos minutos. Mesmo os viajantes mais experientes podem desconhecer ou ignorar algumas regrinhas da Receita Federal e acabar gastando um valor alto em multas por um produto que foi comprado em outro país justamente para não sair muito caro. Mas, com algumas dicas listadas com a ajuda do advogado Anderson Almeida, você pode garantir que suas compras fiquem sãs e salvas.

Objetos de uso pessoal são isentos de tributação, mas não exagere

Na hora de avaliar o que será ou não considerado como bem de uso pessoal, vale usar o bom senso. Para alguns produtos existem limites quantitativos sobre o que entra sem tributação ou não, como bebidas, cujo limite de isenção de 12 litros do exterior mais 24 garrafas do free shop (a lista completa com os limites fica no site da Receita Federal). Mas outros, como os cosméticos, são definidos de acordo com o que os fiscais consideram compatível com o uso pessoal.

Entre os produtos que são considerados isentos, quando estão em quantidade compatível com o uso pessoal, estão: livros, periódicos, vestuário, produtos de higiene, calçados, óculos, aparelhos necessários para uso profissional pessoal e relógio, máquina fotográfica e telefone celular usados. Os demais produtos são tributados se o valor deles somado exceder a cota de tributação de 500 dólares.

Desde que a declaração de Saída Temporária de Bens foi extinta, se a Receita considerar que um produto eletrônico foi comprado no exterior, o dono deve apresentar a nota fiscal do objeto ou deve comprovar sua nacionalização, o que pode ser feito pela apresentação do selo da Anatel ou o número de patrimônio do produto, ou ainda pela demonstração de que o produto já tem algum tempo de vida útil. “O viajante pode mostrar que o iPad é usado mostrando arquivos antigos, por exemplo”, diz Anderson Almeida. Se a Receita não considerar válidas as comprovações e confiscar o objeto, então o dono deve buscar meios de comprovação e voltar ao aeroporto depois para resgatar o bem.

Boa aparência não livra da fiscalização; se a compra exceder a cota de isenção, declare

Engana-se quem acredita na velha história de que os fiscais aduaneiros barram apenas quem tem cara de “muambeiro”. “O sujeito acha que por trazer duas malas separadas não vai ser barrado, mas hoje eles fiscalizam até quem anda com bolsa a tiracolo. A Receita está aparelhadíssima e mais rigorosa, não é mais como no passado”, explica o advogado.

É por isso que é recomendável que a Declaração de Bagagem Acompanhada (DBA) seja feita sempre que as compras não consideradas de uso pessoal excederem a cota de isenção tributária, que é de 500 dólares para passageiros que chegarem no país por via aérea ou marítima e de 300 dólares para os viajantes que ingressarem por via terrestre ou fluvial. A DBA pode ser obtida com as companhias de transporte durante a viagem ou retirada nos postos da Receita Federal depois do desembarque.

É cobrada uma alíquota de 50% sobre o valor que ultrapassar a isenção. Os valores excedentes devem ser comprovados com as notas fiscais das compras. Um viajante que comprou um notebook no valor de 1.000 dólares, por exemplo, ao fazer a declaração pagaria um imposto de 250 dólares.

Se a declaração não for feita em casos que são obrigatórios, a multa aplicada é de 50% sobre o valor excedente. Ou seja, se a bagagem for examinada e a Receita encontrar um notebook comprado na viagem, no valor de 1.000 dólares, que não foi declarado, do valor total de 1.000 dólares, devem ser pagos os 250 reais de imposto (50% sobre o valor que excede a cota) mais 250 dólares de multa.

A omissão na declaração de bens que sejam avaliados como tendo fins comerciais podem resultar ainda na confiscação pela Receita, além de poder até mesmo constituir crime.

Com mais de 10.000 reais em mãos, é preciso declarar o valor

O viajante que estiver saindo ou entrando no país com valor superior a 10.000 reais em dinheiro, cheques ou travelerschecks deve preencher a Declaração de Bagagem Acompanhada (DBA) e a Declaração Eletrônica de Porte de Valores (e-DPV), que é preenchida no próprio site da Receita.

Se na entrada no Brasil o montante que superar os 10.000 reais estiver em moeda estrangeira, o viajante deve apresentar na fiscalização aduaneira o comprovante de aquisição da moeda estrangeira da instituição financeira que realizou a operação de câmbio.

A falta de apresentação da e-DPV e do comprovante pode levar à retenção ou à perda total dos valores que excederem o limite de 10.000 reais, além de implicar até mesmo em sanções criminais.

O Free Shop também tem seus limites

Todo viajante tem o direito de adquirir mercadorias até o valor total de 500 dólares com isenção de tributos nas lojas francas (duty free shops) dos portos e aeroportos, após o desembarque no Brasil e antes de sua apresentação à fiscalização aduaneira. No entanto, a regra inclui também algumas restrições.

As compras em free shops devem respeitar limites de quantidade. Alguns podem até ser bem razoáveis, como no caso das bebidas: o comprador pode comprar até 24 garrafas. Produtos como relógio, máquinas, brinquedos, jogos ou eletrônicos podem ser comprados no máximo em três unidades. A lista completa com as limitações de quantidade podem ser encontradas também no site da Receita.

E tudo o que for comprado em lojas francas de outros países, entra dentro das regras para produtos comprados no exterior, portanto devem ser contabilizados dentro da cota de isenção de 500 dólares.

 

Texto: Sabrina Souza

Categorias: Dicas & Novidades | Tags: , , , | Deixe um comentário

Intercâmbio, o diferencial no currículo

Imagem

Segundo Belta, em 2012, 175 mil brasileiros foram estudar no exterior

Atualmente, falar bilíngue é essencial para quem queira crescer profissionalmente principalmente, o inglês que é exigido no mercado de trabalho. Para aqueles que querem ter o idioma mais fluente o intercâmbio é o mais indicado. “Qualquer pessoa pode estudar fora do país, basta ter vontade de passar um período da sua vida vivendo no exterior!”, diz a gerente da agência de intercâmbio, Talita Lencki. 

Segundo o site da Associação Brasileira de Organizadores de Viagens Educacionais e Culturais, a Belta, em 2012, 175 mil estudantes fizeram intercâmbio o que teve aumento de 5% já que, em 2010, 168 mil brasileiros estudaram no exterior.

Imagem

Da esquerda pra direita a Gabriela Aleixo junto com as amigas intercambistas

A empresária, Gabriela Aleixo adora viajar e conhecer culturas diferentes não é por menos, que ela já estudou fora do país duas vezes pelo programa cultural de férias no mês de julho, a sua última viagem foi em 2012 para Inglaterra, França e Itália, conta que Itália foi o país mais se encantou. “Os italianos são receptivos com os estrangeiros, eles são mais animado – muito parecido com a gente, contrário dos ingleses e franceses”, afirma à empresária.

Existem algumas opções para estudar fora do país como programa cultural de férias são realizadas atividades esportivas, recreativas, passeios além, de ter o dia a dia à língua inglesa para adolescentes entre 09 e 18 anos com duração no máximo dois meses. 

Quem deseja cursar o ensino médio no exterior, têm o High School onde estuda junto com os estrangeiros do próprio país, no intervalo de seis meses a um ano.  Também, para aqueles que querem fazer graduação, pós-graduação, mestrado e MBA no exterior para maiores de 18 anos com inglês avançado. 

Work &Travel são trabalhos remunerados para estagiários e trainee para maiores de 18 anos com inglês avançado e ter a graduação.  Para os iniciantes do idioma, podem fazer Curso de idioma em que o estudante tem o professor especializado com o material didático vai aprender a falar, ler, compreender e escrever com duração de duas semanas a um ano.

Imagem

Estudar no exterior traz benefícios na vida pessoal como profissional

Quem não tem muitas condições podem trabalhar como babá, tem melhor custo e benefício, pois inclui alimentação, acomodação, trabalho remunerado e estudos. Para isso, exige ter entre 18 e 26 anos com conhecimento inglês intermediário, ter concluído o ensino médio, gostar de criança, a mulher seja solteira, sem filhos e seja habilitada para que possa levar a criança conforme a necessidade dos pais. A estadia no país no mínimo de um ano.

A empresaria, Gabriela Aleixo comenta que a sua ida para Europa trouxe muitos pontos positivos, como amizades novas e principalmente, o currículo. “Estudar no exterior é uma experiência inesquecível de vida, pois proporciona diferenciação no currículo, fluência no idioma, conhecimento de novas culturas e outros países. Além, de adquirir maturidade”, afirma a gerente Talita Lencki.

FIQUE ATENTO!

Você que ainda está graduando, procura a sua universidade oferece bolsa de estudos no exterior para os estudantes, pois algumas instituições proporcionam essas oportunidades. Foi o que o estudante da Universidade de São Paulo (USP), Henrique Jalain fez. Prestou duas provas, uma para o programa “Ciência sem Fronteira” para estudar na Irlanda e a outra foi méritos acadêmicos para melhores alunos para Noruega.

As suas expectativas são grandes, principalmente aprimorar o inglês e complementar os estudos já que, ele faz Gestão Ambiental. “Quero estudar na Inglaterra, porque tem fortes programas de energia renovável e planejamento ambiental e na Noruega, pois é ótimo estudos de petróleo”, comenta o estudante.

Categorias: Dicas & Novidades | Tags: , , | Deixe um comentário

Aracaju: Cidade reserva atrações para todos os gostos e bolsos

Imagem

O Oceanário de Aracaju é mantido pelo Projeto Tamar e mais de 60 espécies de tartarugas podem ser encontradas no local.

A capital de Sergipe, Aracaju, reserva muita história, praias maravilhosas e as manifestações populares, como festas juninas e o tradicional baião. Valber Fernandes é diretor de uma agência de turismo e conta que na Orla de Atalaia, considerada cartão postal aracajuano, fica a Passarela do Caranguejo, com muitos bares e restaurantes. Há ainda a Feira de Artesanato, com produtos feitos à base de cerâmica, madeira, tecido, entre outros.
Fernandes cita ainda o Oceanário de Aracaju, que tem formato de tartaruga marinha e é mantido pelo Tamar, com 60 espécies de animais, divididos em 18 aquários de águas doce e salgada. A história está presente em locais como a Catedral Metropolitana de Aracaju, com estilo neoclássico e neogótico.

EM 1985, a Catedral foi tombada pelo Patrimônio Histórico. catedral_aracaju3821

DSC08376

O sarapatel é um dos pratos típicos da cidade

Mais história é guardada no Palácio Olímpio Campos, que foi sede do governo estadual até 1995. Tem também a Ponte do Imperador, que serviu de desembarque do imperador Dom Pedro II e sua comitiva em 11 de janeiro de 1860. Na época, a construção de alvenaria e madeira tinha seu piso e escadaria cobertos por tapete baeta azul. Depois foi utilizada como embarque e desembarque de mercadorias.
Quanto à gastronomia, o destaque vai para a carne de sol, com feijão verde e mandioca, além da buchada, o sarapatel e a galinha cabidela, além das macaxeiras, angus, tapiocas e queijadas. Quem gosta de agitação, tem muitas opções nos bares e restaurantes da orla marítima.

Categorias: Destinos nacionais | Deixe um comentário

Vai viajar sozinho? Alugue um amigo local e conheça o melhor do seu destino

Idealizado por uma jornalista brasileira, o site “Rent a Local Friend” permite que o turista “contrate” um morador local para acompanhá-lo e ser seu guia durante a viagem

Screenshot rent a local friend

A falta de companhia já não é mais desculpa para quem quer viajar. O projeto Rent a Local Friend (alugue um amigo local, em tradução literal para o português) oferece aos ‘solitários’ a possibilidade de locar um morador do destino da viagem para acompanhá-lo e apresentar a ele as melhores atrações turísticas, restaurantes, museus, etc – tudo aquilo que o turista levaria horas para descobrir sozinho.

O projeto é de iniciativa da jornalista brasileira Alice Kuntz Moura, que há três anos se mudou para Lisboa e criou um blog para dar dicas de passeios alternativos na cidade. Além disso, ela costumava viajar para os lugares em que seus amigos moravam e pedia para que eles a acompanhassem durante os passeios. “Depois, eu fazia o mesmo quando eles iam para Lisboa”, conta. A atividade se tornou oficial e hoje o site do projeto já reúne amigos de 45 cidades do mundo todo. A intenção, explica Alice, não é só facilitar a viagem de alguém, mas também aproximar pessoas de interesses comuns, ligadas pelo mesmo perfil. “O próprio nome do projeto vem daquela famosa expressão ‘tô te alugando’…nós tentamos colocá-la em prática de forma divertida e organizada”, define.

O projeto funciona de forma bem simples: o viajante entra no site, seleciona a cidade desejada e vê os amigos cadastrados no local escolhido. Escolhe, então, um guia com interesses e idioma compatíveis e aguarda a confirmação da pessoa escolhida. Se a pessoa estiver disponível, basta agendar o passeio, que pode durar 4 ou 8 horas. Os preços variam de acordo com o custo de vida na cidade. Em São Paulo, por exemplo, paga-se 260 reais por um passeio inteiro, mesmo tempo que custa 160 euros em Paris. Caso o amigo escolhido não esteja disponível, é possível ainda pedir que ele faça uma seleção de dicas e lugares da cidade e envie pela internet, por um preço simbólico.

O "amigo" Felipe Couto em São Paulo com dois turistas americanos

O “amigo” Felipe Couto em São Paulo com dois turistas americanos

Mas não é só para os viajantes que o projeto é voltado. Qualquer pessoa que quiser participar do projeto como guia pode se inscrever no site e se tornar um amigo local para viajantes do mundo inteiro, basta atender a alguns requisitos (como ser maior de idade, ter horas livres ou falar inglês). Foi o que fez o jornalista Filipe Couto, que mora em São Paulo e há 5 meses está cadastrado no site. “Devido ao meu trabalho em redação, conheço muitos lugares da cidade e por isso vi no projeto uma oportunidade de conhecer pessoas diferentes e ainda ganhar por isso”, afirma. Neste período, Filipe já recebeu 7 turistas de diferentes nacionalidades. “Nós também aprendemos muito com eles”, finaliza.

 

Texto: Sabrina Souza

Categorias: Dicas & Novidades | Tags: , , , , | Deixe um comentário

Não sabe para onde viajar nas férias? Aqui está….Monte Verde!

Imagem

Em 2008 foi eleito o melhor destino de inverno no país

Falta menos de dois meses para começar a estação mais fria do ano e muitos pretende aproveitar esse momento com a família e /ou amigos. Um ótimo lugar para quem deseja tranquilidade e curtir o inverno é em Monte Verde, localizada na Serra da Mantiqueira, Minas Gerais.

A cidade está a 1554 metros de altitude, o que varia no inverno abaixo de dez graus. Em 2008 o município ganhou o melhor destino de inverno do Brasil pelo site viajeaqui da editora Abril.

A recepcionista Jéssica dos Santos foi em julho de 2011 com a família e comenta a cidade é a visão do paraíso. “O ambiente é fantástico, pois o lugar e o clima é bem diferente de onde vivo”, diz.

Em quesito gastronomia são ótimos na cozinha, os pratos são desde comidas exóticas, mineiras até europeu como a truta e o founde, também, não deixando de lado o café colonial. “O que eu mais gostei da cidade foi alimentação, a culinária mineira é ótima – é de cair o queixo!”, comenta a recepcionista.

Imagem

Os passeios e aventuras são realizadas na Serra da Mantiqueira

Para quem deseja curtir a cidade tem passeios dos mais calmos até aventura  como passeios de quadriciclo, jipe, a cavalo e voo panorâmico onde o turista conhece a redondeza da cidade. Diversões como paintball e patinação no gelo. Também, há para aqueles que procuram adrenalina como arvorismo, rappel, escaladas, mountain bike e montanhismo.

Em relação às compras os turistas encontrarão lojas de artesanato, de chocolate, queijos, geleias, sais de banhos e gnomos. Ótimo para levar de lembrança para amigos e família.

Quem for à época de inverno irá encontrar o festival “Arte Cerâmica e Outras Artes nos Jardins de Monte Verde”, são obras expostas pelos artistas da região e internacionais, podendo ser vendida. No local você poderá prestigiar os concertos e apresentações musicais.

Categorias: Destinos nacionais | Tags: , , , | Deixe um comentário

Canela e a tranquilidade serrana

O município oferece várias atrações turísticas, entre o mais o mais conhecido são  os festivais de inverno

Imagem

Localizada na Serra Gaúcha, a cidade de canela Canela é uma ótima opção para quem deseja aproveita o inverno para viajar. Localizado na Serra Gaúcha, a cidade oferece belas paisagens naturais com grandes relevos e vegetação vasta

A estudante de odontologia Mariana Vitiello, foi em julho do ano passado com a família, conta que ficou encantada com o lugar. “Além de fazer muito frio, a cidade é muito agradável principalmente pelo clima serrano”, diz.

Na gastronomia serrana, são diversas opções de pratos italiana e alemã – por causa da colonização – e gaúcha, além dos cafés coloniais.

Conhecida por atrações turísticas, Canela oferece diversos passeios para aqueles desejam conhecer lugares mais tranquilos tanto para aqueles que adoram adrenalina.

O mais visitado pelos turistas é o Parque do Caracol conta área de lazer, restaurante, lojas de artesanato, passeio de trem, trilhas e escadaria de 927 degraus que conduz à base da cascata com 131 metros de queda livre.

Imagem

A cascata do Parque do Caracol tem 131 metros de queda livre

O estudante de Ciências de Alimentos Lucas Dordetti foi em dezembro do ano passado com a família para o Rio Grande do Sul, aproveitou para visitar a cidade, principalmente o Parque do Caracol. “O espaço ambiental é muito interessante e a reserva natural é bem aproveitada”, comenta.

Quem passa no centro da cidade, não tem como não se encantar com a Catedral de Pedra construída 1953. A igreja matriz com estilo gótico tem 65 metros de altura e um carrilhão com doze sinos de bronze. Ao entrar na igreja a pessoa depara com o altar esculpido em madeira com o tema “a Santa Ceia” pelo uruguaio Júlio Tixe.

Imagem

A invenção da locomotiva veio através de um acidente em Paris na década de 80

Outro ponto turístico que encanta qualquer um que passa por lá é o Museu a Vapor, miniatura de uma fábrica de papel, uma olaria e uma ferraria. Na fachada do museu a pessoa encontra um trem suspenso na sacada do museu. Essa criatividade veio através de um acidente que aconteceu em 1985 em Paris quando locomotiva atravessou em alta velocidade a estação e ficou pendurado a 12 metros de altura.

Para quem gosta de aventura e emoção existe o Alpen Park contém diversos brinquedos de tirar o fôlego como tirolesa, arvorismo, parede de escala, rappel, quadriciclo, o mistério da monga, bungge trampolim, alpen motion e cinema 4D.

Imagem

Primeiro parque de gelo da América Latina

Há passeio mais tranquilo em família, principalmente aqueles que querem deslumbrar a paisagem do alto como o teleférico, possui 34 cadeirinhas duração do passeio é de 20 minutos com velocidade de 3,30 km/h.
A mais nova atração da cidade é o parque “Mundo Gelado” em temperatura negativa em que simula caverna no polo sul onde as esculturas são feitas em gelo. A visitação dura 15 minutos com casacos e luvas oferecidos no local para segurança.

Quem for à época de inverno para Canela não pode deixar de prestigiar a “Temporada de Inverno”, eventos realizados anualmente como “Festival Internacional de Bonecos” são apresentações realizadas nas ruas, com desfiles de bonequeiros e reúnem companhias internacionais e nacionais.

Categorias: Destinos nacionais | Tags: , , , , | Deixe um comentário

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.